Bruno Reis defende retomar aulas presenciais após vacinar profissionais da educação

Foto: Valter Pontes/Secom

Com a autorização para vacinar os profissionais da educação, o prefeito Bruno Reis afirmou que vai defender a retomada das aulas presenciais em Salvador assim que esse público estiver imunizado. 

“Vacinado esse públicos mais vulnerável à covid-19, que são os profissionais da educaçã de 55 a 59 anos, vou defender a retomada das aulas. É uma visão minha, que deve retomar”, afirmou, durante entrevista coletiva nesta quinta-feira (15). Ainda não há previsão de quando vai começar a imunização deste público. 

O prefeito também comentou sobre a recomendação do Ministério Público para publicar os índices e critérios sanitários e epidemiológicos necessários para a autorização do retorno das atividades presenciais na rede municipal. “Já é de pleno conhecimento do Ministério Público os protocolos e os critérios para retomada da educação municipal em Salvador”, disse.

Reis falou ainda que o plano de retomada prevê um escalonamento das aulas. “Nós havíamos definido os protocolos de como funcionariam cada ambiente da escola. Além disso, a volta seria em dias alternados. A ideia não era voltar de forma facultativa e sim com todos”, explicou. 

O MP solicitou ainda uma justificativca para manter as aulas presenciais suspensas, tendo em vista o “status de direito fundamental atribuído à educação, bem como o direito à informação da sociedade”. O município deverá ainda remeter ao MP informações sobre a adequação da estrutura física das escolas públicas da rede municipal de ensino para atendimento aos protocolos sanitários, indicando todas as escolas que já sofreram as adaptações necessárias, bem como a relação atualizada das que ainda necessitam de adaptações, informando, ainda, o prazo estipulado para a conclusão das referidas providencias. 

Na coletiva, o prefeito explicou que a segunda onda da pandemia atrasou o planejamento. “Tivemos que abortar esse retorno. Se estávamos fechando o que estava aberto, não tinha como abrir o que não estava funcionando”, completou.

Reprodução: Jornal Correio

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*