Escassez de alimentos provoca confronto nas ruas de Santiago

Demonstrators clash with riot police during a protest against Chilean President Sebastian Pinera's government amid the COVID-19 pandemic, in Santiago, on May 18, 2020. - Villagers in the populous commune of El Bosque, in southern Santiago, clashed with the police after protesting the lack of food and work as a result of the crisis caused by the coronavirus, which keeps the Chilean capital in total quarantine. (Photo by Pablo Rojas / AFP)

Nessa segunda-feira (18), houve confronto entre policiais e manifestantes em Santiago, capital e maior cidade do Chile.

De acordo com as autoridades locais, uma das regiões mais pobres da capital está enfrentando escassez de alimentos, em meio ao lockdow para conter o avanço da disseminação do novo coronavírus.

A falta de alimentos ocasionou protestos de grupo de manifestantes que atirou pedras, gritou palavras de ordem e queimou pilhas de madeira ao longo de uma rua no sul de Santiago. 

Em nota, o município informou que famílias passam fome nas regiões mais pobres de El Bosque, um bairro onde moram muitos trabalhadores informais e desempregados. O distrito urbano está em quarentena desde meados de abril.

Em comunicado, o gabinete de Melo disse que El Bosque havia distribuído mais de 2 mil pacotes de ajuda às famílias necessitadas, mas pediu que o governo central não continue a sobrecarregar os municípios com uma responsabilidade econômica com a qual não conseguem lidar.

“As últimas semanas tiveram grande demanda de moradores da região por comida”, disse o prefeito de El Bosque, Sadi Melo, que é do partido Socialista chileno, de oposição ao atual governo federal. “Estamos em uma situação muito complexa de fome e falta de trabalho.”

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*