Número de casos de covid-19 em Itinga cresce 291% em quase um mês

No bairro, muita gente descumpre o isolamento social (Foto: Marina Silva/CORREIO)

Por Correio 24 horas

Itinga é o bairro campeão de casos do novo coronavírus em Lauro de Freitas. A localidade tem hoje 493 registros de pessoas com a covid-19, um número 291,2% maior do que no dia 1º de junho, quando o balanço apontava 126 infectados.

Dos 1.846 confirmados com a doença na cidade da Região Metropolitana de Salvador (RMS), segundo o último boletim epidemiológico do município, divulgado neste domingo (28), 26,7% pertencem a Itinga. Dos 31 óbitos pelo coronavírus no município, pelo menos nove aconteceram no bairro. 

O CORREIO esteve no local para entender o que está acontecendo em Itinga e os moradores são categóricos: “Ninguém está respeitando o isolamento social. Olhe para essa rua, meu filho!”, reclamou a dona de casa Vanessa Brito, 37 anos. De fato, para tantos casos registrados, era de se surpreender o movimento no bairro. Trânsito intenso, pessoas sem máscara e comércio a todo vapor foram observados.   

Na frente de uma barraca de lanches e bebidas, um rapaz sem máscara tomava normalmente um copo de cerveja. A boemia se misturava com o agito das calçadas. Pessoas caminhavam de um lado para outro para fazer compras nas várias lojas que estavam abertas. Não era difícil ver gente sem máscara ou a utilizando incorretamente. 

Na agência da Caixa Econômica Federal, cerca de dez pessoas formavam uma fila do lado de fora. Todas próximas, aproveitando a sombra formada por uma árvore. Do lado do banco, cerca de cinco pessoas se aglomeravam em duas barracas de feirantes para fazer as compras. Alguns também não utilizavam corretamente a máscara.   

População 
A prefeitura de Lauro de Freitas afirmou que considera, em seus dados, que a população estimada de Itinga é de metade da população estimada da cidade, que em 2019 estava em quase 200 mil habitantes. Isso significaria que apenas um bairro de Lauro de Freitas possui cerca de 100 mil pessoas, o que foi confirmado por Vidigal Cafezeiro, coordenador da equipe de combate ao novo coronavírus.  

Isso explicaria, segundo a gestão municipal, o alto número de pessoas com o vírus. O CORREIO solicitou à assessoria os dados exatos utilizados pela prefeitura de população de cada localidade, mas não obteve retorno até o fechamento da reportagem. Os demais bairros da cidade, que possuiriam os outros 100 mil habitantes do município, estão com 1.270 casos da doença. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) não possui estatísticas sobre os bairros de Lauro de Freitas, pois eles foram fundados em lei depois do Censo de 2010.

A gestão municipal informou também que considera o bairro como residencial, mas com uma alta quantidade de comércios ditos essenciais como mercados, farmácias, postos de gasolina e bancos. Isso explicaria a alta movimentação que é observada nas ruas principais da região. 

Em Itinga, algumas pessoas andam normalmente sem o equipamento de proteção (Foto: Marina Silva/CORREIO)

Para os especialistas consultados pelo CORREIO, a alta densidade demográfica dos bairros populares contribuem na disseminação do vírus.

“Nos locais populosos, é mais difícil manter um distanciamento social adequado, seja por fatores socioeconômicos ou culturais”, disse a infectologista Jacy Andrade.  

O professor Juan Moreno, do grupo de pesquisa Geocombate Covid-19, da Universidade Federal da Bahia (Ufba), falou que a realidade de Itinga reflete a característica da doença, que chega na cidade através das localidades de maior renda, mas se dissemina nas populares. “Como não houve um isolamento social completo, fatalmente a doença se espalha nos bairros populares. É importante a intervenção do poder público no local”, avaliou.   

Já o infectologista Adriano Oliveira descartou que a proximidade do bairro com Salvador e com o aeroporto internacional seja o motivo do alto número de casos. “O principal fator é a densidade populacional. O vírus se dissemina mais em bairros periféricos do que em bairros nobres por causa desse fator”, explicou.

Leia matéria completa aqui

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*