Prefeito eleito de Porto Seguro, Jânio Natal diz que não haverá “lockdown”

O prefeito eleito de Porto Seguro, Jânio Natal (PL), falou na manhã desta quarta-feira (18) que não pretende implementar o “lockdown” – confinamento total – em sua gestão. A cidade fica no sul da Bahia, e é um dos municípios turísticos do estado.

“Nosso município tem sofrido bastante com essa praga miserável da Covid. Mas uma coisa que não passa pela nossa cabeça é ‘lockdown’, fechamento de qualquer coisa ou de prejuízo ao comércio local”, disse o futuro gestor.

“A vida não para, não pode parar. Porto Seguro, 95% da sua economia é o turismo. Se a gente parar, ou morre de fome ou ficaremos todos sem saber o que fazer. Então a gente tem que tomar decisões com responsabilidade. De forma nenhuma, nós vamos parar o comércio de Porto Seguro”.

Jânio falou que pensa em realizar os festejos de carnaval em abril. Disse ainda que acha muito difícil ter carnaval nos próximos meses e avaliou como medida irresponsável manter o carnaval em fevereiro. Ainda segundo ele, a prioridade é a saúde da população e a volta às aulas.

“Está tudo na incerteza. Fica difícil tomar uma posição. Qualquer gestor agora, se disser que vai ter carnaval em fevereiro, está sendo irresponsável. Não pode tomar uma posição individualista, tem que ser uma posição com a população, com a situação da saúde, do Covid. Infelizmente, quem manda hoje é o Covid”.

“Na nossa ideia, a gente quer tentar fazer um carnaval em abril: 18, 19, 20, 21 e 22 de abril. Eu creio, diante do que a gente ouve na televisão, nas rádios e na mídia em geral, creio que, com fé em Deus, agora em janeiro a vacina estará liberada, com fé em Deus”, disse o prefeito eleito de Porto Seguro.

‘Kit Covid’

O prefeito disse ainda que um “kit covid” será distribuído para a população mais pobre, com vitaminas e medicamentos. As substâncias entretanto, não possuem comprovação científica de que funcionam para prevenir ou tratar o coronavírus.

“Vai ser um kit que a gente vai fornecer para as pessoas mais humildes, que não têm condições. A gente está pensando até a oferece esse kit para o turista. Ele chegar ao aeroporto, ou ao hotel, ele ter o kit. Isso é o pensamento”, pontuou.

O G1 tentou falar com o prefeito, através de telefone, para ele comentar sobre o “kit covid” e sobre a não comprovação de que as substâncias sirvam contra a Covid-19, entretanto não conseguiu contato.

Apesar da não comprovação do funcionamento das medicações, e a advertência de vários profissionais da saúde e da Organização Mundial da Saúde sobre os efeitos colaterais causados pelos remédios, o prefeito disse que não está sendo irresponsável.

Por G1 Bahia

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*